Breaking News
Home / Lendas / A Lenda de ZABELÊ – Piauí

A Lenda de ZABELÊ – Piauí

O chefe da tribo dos Amanajós tinha uma filha chamada Zabelê, que amava Metara, um índio da tribo dos Pimenteiras, terríveis inimigos dos Amanajós. Dizendo que iria colher mel perto de onde o rio Itaim deságua no rio Canindé, Zabelê aproveitava para se encontrar com o seu amado Metara. Um dia, um índio chamado Mandahú, da tribo dos Amanajós, desconfiou daquelas andanças e resolveu seguir Zabelê, descobrindo o seu esconderijo. É que Mandahú era apaixonado por Zabelê, e não suportava o seu amor não correspondido, principalmente porque se via preterido por um inimigo. Certa vez, Mandahú resolveu levar algumas testemunhas para desmascarar Zabelê. Os dois amantes foram descobertos, surgindo uma briga que resulta na morte de Zabelê, de Metara e de Mandahú. O fato deu origem a outra guerra, que durou seis sóis e sete luas. Mas Tupã teve pena dos dois amantes e resolveu transformá-los em duas aves, que andam sempre juntas e cantam tristemente ao entardecer. Mandahú foi castigado e transformado em um gato maracajá, eternamente perseguido pelos caçadores por causa do valor de sua pele. Zabelê ainda hoje canta a tristeza de seu amor infeliz.

“De pés vermelhos e de corpo quase todo vermelho, a primeira impressão (…) é de que se trata da juriti-piranga; e, como o seu canto é de uma nostalgia e ternura inigualáveis, ainda mais se positiva a impressão de que ela é a juriti-piranga. Entretanto, é muito maior do que a juriti; o seu tamanho aproxima-se mais de uma inhuma ou de um mutum; sendo assim mais desenvolvida, a natureza lhe permitiu o hábito de andar pelo chão, de caminhar ou correr comumente pelo solo (…) Para voar (…), primeiro corre num descampado de 200 a 300 metros para depois alçar vôo”.Bugyja Britto, in “Zabelê”

Extraídas do livro “Piauí, Terra Querida”, de Eneas Barros. Edição SENAI, Brasília. Gráfica Ipiranga, 2007.

Música de Gilberto Gil e letra de Torquato Neto, 1966

ZABELÊ

Minha sabiá

Minha zabelê

Toda meia-noite eu sonho com você

Se você duvida, eu vou sonhar pra você ver

 

Minha sabiá

Vem me dizer, por favor

O quanto que eu devo amar

Pra nunca morrer de amor

 

Minha zabelê

Vem correndo me dizer

Por que eu sonho toda noite

E sonho só com você

 

Se você não me acredita

Vem pra cá, vou lhe mostrar

Que riso largo é o meu sonho

Quando eu sonho com você

 

Mas anda logo

Vem que a noite já não tarda a chegar

Vem correndo pro meu sonho escutar

Que eu sonho falando alto

Com você no meu sonhar

 

Bom ler também!

O nascimento do girassol

Na antiga Grécia, uma jovem ninfa chamada Clítio deixou as profundezas do mar para viver …