Poesia

Caindo na real

vagaluminosas

Um vaga-lume, na noite

brinca de estrela cadente:

baila, pisca, pisca, baila,

pingo de luz resplendente.

E tão entretido estava,

bêbado de tanta alegria

que nem percebeu que o sol

chegava, trazendo o dia…

A luz que doura a manhã

feriu-lhe como um acoite;

desencantado, entendeu

que só existe na noite.

Cineas Santos(poeta do Piauí)

Enhanced by Zemanta