Poesia

Caindo na real

vagaluminosas

Um vaga-lume, na noite

brinca de estrela cadente:

baila, pisca, pisca, baila,

pingo de luz resplendente.

E tão entretido estava,

bêbado de tanta alegria

que nem percebeu que o sol

chegava, trazendo o dia…

A luz que doura a manhã

feriu-lhe como um acoite;

desencantado, entendeu

que só existe na noite.

Cineas Santos(poeta do Piauí)

Enhanced by Zemanta

Sobre o autor

Carmem Sueli

Meu nome é Carmem Sueli, sou professora de Língua Portuguesa do ensino fundamental maior com formação em Licenciatura Plena em Letras -Português na Universidade Federal do Piauí e Especialista em Cultura Afrodescendente e Educação Brasileira pela mesma universidade. Aqui você pode tirar suas dúvidas e aumentar as minhas, pode também perguntar, responder... o único problema que vamos enfrentar é minha incipiência com esse instrumento de trabalho, mas vamos lá!