Poesia

Felicidade

1-invernaderos de la arganzuela-030

Tem pai e mãe que ficam juntos
a vida inteira, até bem
velhinhos, sem nunca se separar.

Mas às vezes o novelo se rompe
e o pai e a mãe decidem seguir
cada um seu próprio caminho.

Mesmo que seja difícil,
para que um não destrua o outro
é melhor se separar.

A casa se divide em duas casas.
No começo não há sol nem luar.
No coração dos filhos
o temporal demora a passar.

Felicidade é frágil borboleta
mas sempre se recompõe.
Semente mágica em novo casulo.

Uma outra vida começa
e como tudo na vida
com coisas boas e más.

A namorada do pai,
o namorado da mãe, os filhos dos
outros casamentos que
a gente olha enviesadamente como
um navio de bandeira
inimiga até a desconfiança passar.

Seja qual for o caso da sua casa,
tire do casulo mágico a borboletafelicidade, porque felicidade é
sempre palavra azul, mar,
montanha, vento, e agente é quem
escolhe se vai ou não vai usar.

(Murray, Roseana, Flicidade. São Paulo: FTD,1995)

Enhanced by Zemanta