Lendas – MIRIDAN (PIAUÍ)

Parnaíba River in Piauí.

Image via Wikipedia

MIRIDAN (PIAUÍ) (Lendas – CABEÇA-DE-CUIA (PIAUÍ))

Era a mais bela jovem da tribo dos Acaroas, que habitava as margens do rio Paraim. Por ter sido escolhida dos deuses, Miridan nunca poderia se casar. Somente o velho pajé Piauiguara sabia que, se Miridan conhecesse o amor, ela teria um membira (filho, na língua Tupi) que não poderia sobreviver. E assim aconteceu. Não sabendo como esconder o filho desse amor, e com medo de que o mesmo fosse sacrificado, Miridan colocou-o num tacho e soltou a pobre criança nas águas do rio Paraim. A natureza se revoltou, o céu ficou escuro e fez descer um corpo estranho que penetrou na terra e abriu uma enorme fenda, por onde jorrou muita água, até formar uma grande lagoa. É hoje a chamada lagoa de Parnaguá, localizada no sul do Piauí.
Depois de todos esses acontecimentos, Miridan, com saudades do filho, se jogou na água para ficar junto dele. Segundo a lenda, o membira habita o fundo da lagoa e é protegido pelas iaras. De lá, ele só sai nas tardes de março, para anunciar o inverno em Parnaguá. Como não diz uma palavra, conta a lenda que no dia em que falar será enviado de Tupã para prever o fim do mundo.
Você sabia que a lagoa de Parnaguá tem 98 km2 de superfície (7 km de largura por 14 km de comprimento) e quase não se avista a outra margem?
Parnaguá vem do tupi “Paranaguá” e significa “enseada do mar”. O jornalista piauiense Joaquim Nogueira Paranaguá, citado por Bugyja Britto in “Miridan”, traduziu como “semelhante a um mar redondo”.

Extraídas do livro “Piauí, Terra Querida”, de Eneas Barros. Edição SENAI, Brasília. Gráfica Ipiranga, 2007.