Palavras brasileiras de origem africana

Abadá: túnica folgada e comprida. Atualmente, no Brasil, é o nome dado a uma camisa ou camiseta usada pelos integrantes de blocos etrios elétricos carnavalescos.
Abará: Quitute semelhante ao acarajé. A massa feita de feijãofradinho e os temperos são os mesmos. Os bolinhos envoltos em folhas de bananeira são cozidos em banho-maria.
Acarajé: Bolinho de feijão frito no dendê e servido com camarões secos.
Afoxé: Dança, semelhante a um cortejo real, que desfila durante o carnaval e em cerimônias religiosas.
Agogô: Instrumento musical formado por duas campânulas ocas de ferro

Babá: Origem controvertida. Para alguns estudiosos, é originária do quimbundo; para outros, é do idioma iorubá. Pai-de-santo. Ama-seca.
Bagunça: Baderna.
Balangandãs: Enfeites,originalmente de prata ou de ouro, usados em dias de festa.
Bambambã ou bamba:Maioral, bom em quase tudo que faz.
Bamberê: Cantiga de ninar entoada por negras velhas da Região Amazônica.

Bamberê, bamberá,
criança que chora quer mamá.
Moça que namora quer casá.
Galinha que canta quer botá.
Bamberê, bamberá…

Banguela: Desdentado. Os escravos trazidos do porto de Benguela, em Angola, costumavam limar ou arrancar os dentes superiores.
Bantos: Povos trazidos do sul da África, principalmente de Angola e
Moçambique, que espalharam sua cultura, idiomas e modos.
Banzé: Confusão.
Banzo: Tristeza fatal que abatia os escravizados com saudades de sua terra natal.
Baobá: Árvore de tronco enorme, reverenciada por seus poderes mágicos.
Batuque: Dança com sapateado e palmas, com som de instrumentos
de percussão. É uma variante das rodas de capoeira, praticada pelos negros trazidos de Angola para o interior da Bahia. No sul do Brasil, é sinônimo de rituais religiosos e, no interior do Pará, é uma espécie de samba.

Berimbau: Instrumento musical, composto de um arco de madeira com uma corda de arame vibrada por uma vareta, tendo uma cabaça oca como caixa de ressonância.
Bobó: Um tipo de purê feito de aipim ou inhame.
Borocoxô: Molenga.
Bunda: Nádegas, na língua falada pelos bundos de Angola.
Búzios: Conchas marinhas usadas antigamente na África como moedas e, em nossos dias, em cerimônias religiosas e em jogos de previsão.

Caçamba: Balde para tirar água de um poço.

Cachaça: Bebida alcoólica. Durante muito tempo, negros

escravizados, banhados em suor, giravam manualmente as

rodas dos engenhos de açúcar.

Cachimbo: Tubo de fumar, com um lugar escavado na ponta para se colocar o tabaco.

Cacimba: Poço para se extrair água.

Caçula: O mais novo.

Cacunda: Corcunda. Corcova. Costas. 

Cafofo: Lugar que serve para guardar objetos usados.

Cafuá: Esconderijo. Casebre.

Cafundó: Lugar distante e isolado.

Cafuné: Coçar a cabeça de alguém.

Cafuzo: Mestiço de negro e índio.

Calango: Lagarto. Dança afro-brasileira.

Calombo: Inchaço.         

Canga: Tecido com que se envolve o corpo. Peça de madeira colocada no lombo dos animais.

Canjica: Papa de milho.

Capanga: Guarda-costas. Bolsa pequena que se leva a tiracolo.

Capenga: Manco.

Capoeira: Jogo de corpo, agilidade e arte, que usa técnicas de ataque e de defesa com os pés e as mãos. As rodas são acompanhadas por palmas, pandeiros, chocalhos, berimbaus e cânticos de marcação.

Carimbo: Marca sinal.

Caruru: Iguaria da culinária afro-brasileira, feita com folhas, quiabos e camarões secos.

Catimba: Manha. Astúcia.

Catinga: Mau cheiro.

Catita: Pequeno, baixo, miúdo. Nome dado no Nordeste a um ratinho novo.

Caxangá: Jogo praticado em círculo. Os versos de uma velha cantiga, baseada nessa brincadeira, são bem populares.

Caxumba: Inflamação das glândulas salivares.

Cazumbá: Negro velho, personagem do Boi-Bumbá paraense.

Cazumbi: Alma penada.

Chilique: Desmaiar. “Ter um troço”.

Cochilar: Sono leve.

Congadas ou congos: Danças dramáticas com enredo e personagens característicos, como reis, rainhas, príncipes, princesas, embaixadores, chefes de guerra e guerreiros, que se despedem, no final das apresentações, cantando.

Coque: Bater na cabeça com o nó dos dedos.

Cuíca: Instrumento musical que emite um ronco peculiar.

Dendê: Fruto de uma palmeira.
Dengoso: Manhoso. Chorão.
Diamba: Um tipo de erva alucinógena.
Negro velho fuma diamba
para amansar a memória

Urucungo – Raul Bopp

Ebó: Oferenda feita aos orixás para se resolver os mais diferentes desejos e problemas.
Exu: Divindade que é considerada o intermediário entre o Céu e a Terra. Aquele que está em todos os lugares. Dono das encruzilhadas. Representa a ambivalência humana, os comportamentos e desejos contraditórios.