Roda viva

Quando a vida me dá uma rasteira,

Vou ao chão, mas levanto ligeiro.

 

Digo a ela:  – Eu sou capoeira!

Da luta não fujo, não corro com medo!

Olha a ginga,

Olha a palma

Olha o coro

Berimbau é quem comanda o jogo.

 

Jgo em cima, jogo em baixo.

Quando erro, não me abato.

 

E jogando desse jeito

É que a gente impõe respeito.

 

Olha a ginga,

Olha a palma,

Olha o coro,

Berimbau é quem comanda o jogo.

(Cristiana Raulino, professora-poetisa do Piauí)

 

Fonte imagem:imagensporfavor.com